Como a capital, Campinas irá fechar avenida para carros

Por brasil

VENCESLAU BORLINA FILHO, DE CAMPINAS

Assim como a capital, Campinas, no interior paulista, também decidiu fechar parte de uma importante avenida para o lazer da população. A medida, porém, tem prazo para terminar: vai até o fim do verão, em 20 de fevereiro de 2016.

A partir deste domingo, dia 1º de novembro, a pista interna da avenida Dr. Heitor Penteado, no entorno da lagoa do Taquaral e da praça Arautos da Paz será interditada. A prefeitura considera as áreas o parque Ibirapuera campineiro.

O horário de fechamento para carros aos domingos e feriados será das 7h às 18h. De terça a sexta-feira, será das 19h às 22h, e aos sábados, das 14h às 22h. Serão cerca de 7 km para caminhadas, corridas e atividades com bicicletas, skate e patins.

“A lagoa do Taquaral é nosso parque do Ibirapuera, um espaço que reúne condições para atividades de lazer e esporte. E o verão é propício para a prática de exercícios”, disse o secretário de Transportes, Carlos Barreiro.

A operação já acontece em horário reduzido no entorno da lagoa nas manhãs de domingo e feriados. A ciclofaixa da região também será interligada com outras existentes na cidade, de forma a ampliar o percurso para os ciclistas.

Os veículos estão proibidos no local. Durante a operação, os bolsões de estacionamento dos portões 1, 2, 5, 6 e 7 da lagoa serão bloqueados, tanto para entrada quanto para saída de veículos. Estacionar? Só mesmo fora da área.

Segundo dados da prefeitura, cerca de 22 mil veículos trafegam por dia pela avenida do entorno da lagoa. Por dia, o parque recebe cerca de 3.000 visitantes. A maior atração no local é a réplica de uma caravela, que foi recém-reformada.

SEGURANÇA

Uma preocupação é com a segurança no local, que registra ocorrências constantes de roubos e furtos. No último dia 20, o vigilante de uma lanchonete próxima à lagoa foi morto numa suposta tentativa de roubo de carro.

De acordo com a prefeitura, o fechamento da avenida terá reforço de guardas municipais e de agentes de trânsito. A prefeitura também solicitou à Polícia Militar reforço no local. Câmeras de monitoramento também serão instaladas.

No final de semana, a lagoa foi sede de um festival cervejeiro. O evento, apoiado pela prefeitura, foi alvo de protestos. Agora, um projeto em tramitação na Câmara quer proibir a venda de bebidas alcoólicas em parques públicos.