Com filé clássico, locomotiva da Paulista volta aos trilhos

Por brasil

POR MARCELO TOLEDO, DE RIBEIRÃO PRETO

Com o resgate de um clássico da gastronomia ferroviária, uma locomotiva a diesel fabricada nos EUA e que era utilizada pela extinta Companhia Paulista voltará aos trilhos no próximo sábado (5).

O filé Arcesp, como era chamado, se transformou em um ícone dos vagões-restaurante dos trens da Paulista e será servido num passeio inaugural da “nova” máquina da Paulista.

Composto por filé mignon, molho e arroz, o prato surgiu para atender representantes comerciais –clientes frequentes dos trens, que reclamavam dos preços praticados pela companhia ferroviária.

Esses viajantes eram vinculados à Arcesp (Associação dos Representantes Comerciais do Estado de São Paulo), daí o nome pelo qual o prato ficou conhecido.

A retomada da dupla Paulista-filé será possível porque, em janeiro, a regional de Campinas da ABPF (Associação Brasileira de Preservação Ferroviária) recebeu do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) a locomotiva que um dia foi da Paulista.

Restaurada, ela voltará oficialmente aos trilhos num percurso de 48 quilômetros (ida e volta) entre as estações Anhumas e Jaguariúna. O trem partirá às 11h.

O passeio inaugural com o filé Arcesp será feito para 120 passageiros. Embora inicialmente o prato só seja oferecido na primeira viagem, para recordar o glamour do transporte ferroviário, a ideia da associação é que ele volte ao cardápio de maneira definitiva.

Locomotiva que pertencia à Companhia Paulista e que voltará aos trilhos - Divulgação
Locomotiva que pertencia à Companhia Paulista e que voltará aos trilhos – Divulgação

 

“Faremos essa viagem com quatro carros, sendo a locomotiva, dois carros de passageiros e um restaurante. Queremos fazer passeios programados, oferecendo a refeição, inclusive noturnos”, afirmou Hélio Gazetta, diretor-administrativo da regional da ABPF.

Fabricada em 1958 pela norte-americana Alco, a locomotiva é a segunda a diesel a pertencer ao acervo da ABPF Campinas. A outra é uma da Companhia Mogiana de Estradas de Ferro, produzida seis anos antes.

A RECEITA

O prato tem como base o filé mignon, que é frito na manteiga e, em seguida, retirado, para que os outros ingredientes possam ser preparados.

A frigideira, então, recebe cebola, tomate, batata, ervilha e cenoura que, quando estiverem no ponto, terão a companhia do filé, para que o sabor do molho seja incorporado à carne. O prato é servido com arroz branco.

Oferecido aos sábados, domingos e feriados, o passeio entre Anhumas e Jaguariúna dura 3 horas e 40 minutos. Há opção de um percurso menor, de 20 quilômetros, com duração de 2 horas. Custa R$ 90 e R$ 70, respectivamente.

A ABPF tem hoje 62 carros, entre locomotivas e vagões –de passageiros, dormitórios ou restaurantes. Do total, 18 estão em operação e o restante, em fase de restauro.