Sertaneja rejeita dentadura que recebeu antes de gravar com Dilma

Por brasil

JOÃO PEDRO PITOMBO, DE SALVADOR

A agricultora que recebeu uma prótese dentária dias antes de gravar com a presidente Dilma Rousseff (PT) para o horário eleitoral não usa mais a dentadura.

A informação foi publicada neste sábado (11) pelo jornal “A Tarde”, de Salvador,  em artigo assinado pelo colunista Jânio Ferreira Soares, secretário de Cultura de Paulo Afonso, norte da Bahia.

Soares visitou recentemente a comunidade de Batatinha, zona rural da cidade, e disse ter estado com Marinalva Gomes Filha, 43, que recebeu a visita da presidente na última semana de agosto.

DILMA3.jpg
Marinalva Gomes Filha, a dona Nalvinha, no dia em que gravou com Dilma para a propaganda eleitoral // Foto: 21.ago.2014 – João Pedro Pitombo/Folhapress

De acordo com o colunista, a agricultora disse que “não se acostumou” com a prótese provisória e, por isso, a retirou.

“Ôxe, meu filho, e eu ia morrer de fome, era? Não conseguia comer nada com aquela peste apertando minhas gengivas, uma agonia danada. Me acostumei não”, disse Nalvinha ao colunista.

Dilma teve 76% dos votos em Paulo Afonso — a maior votação entre as 17 cidades da Bahia com mais de 100 mil habitantes.

Sobre o bom desempenho de Dilma na cidade, Nalvinha disse não ter ficado surpresa. Mas queixou-se da repercussão da visita da presidente.

“Inventaram tanta mentira comigo. Disseram que ela me deu um carro, que trouxe móveis novos para minha casa, até da minha dentadura falaram”, afirmou ao jornal baiano.

Em agosto, a agricultora, beneficiária do programa Água para Todos, disse à Folha que a prótese, com dois dentes da frente, fora dada por Dilma.

“Tudo que tenho aqui foi Dilma que me deu”, disse Marinalva.

Além da prótese dentária, dona Nalvinha também teve um fogão a lenha ampliado na semana da chegada da presidente. Um muro foi construído ao lado do fogão, para protegê-lo contra o vento.

A construção do fogão, assim como duas cisternas instaladas em sua casa, fazem parte de um convênio firmado pelo governo federal e pelo governo petista da Bahia com a ONG Aghenda.

Dona Nalvinha era, na ocasião, a única moradora do povoado de Batatinha que já havia recebido o fogão.

'
Dona Nalvinha com o fogão a lenha reforçado na semana da visita da presidente // Foto: João Pedro Pitombo/Folhapress

 ‘AÇÃO DE ROTINA’

Nalvinha recebeu a prótese na véspera de gravar com a presidente Dilma uma peça de TV para o horário eleitoral petista –que, após a repercussão do caso, acabou não indo ao ar.

Segundo a Prefeitura de Paulo Afonso, o governo federal pediu antes das filmagens para a administração municipal providenciar a dentadura.

Na época, a ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, disse que a prótese recebida pela agricultora faz parte de “uma ação de rotina” do ministério e que é praxe o encaminhamento dos problemas identificados pelas equipes técnicas.

Dilma classificou o episódio como “lamentável” e disse que foi “um erro” a agricultora ter recebido a prótese dentária dias antes da gravação: “Tinha que ter recebido antes”.

Siga o blog Brasil no Twitter (@Folha_Brasil) e no Facebook (www.facebook.com/BlogBrasil)