Gleisi ainda é desconhecida no Paraná, mostra Datafolha

Por brasil

ESTELITA HASS CARAZZAI, DE CURITIBA

Numa disputa que se encaminha para uma vitória no primeiro turno do atual governador Beto Richa (PSDB), a eleição no Paraná ainda tem uma candidata relativamente desconhecida do eleitorado.

Trata-se da senadora Gleisi Hoffmann (PT), ex-ministra da Casa Civil de Dilma e uma das principais apostas do partido para as eleições deste ano.

Desde o início da campanha, Gleisi não conseguiu sair do terceiro lugar. Às vésperas da eleição, tem 11% das intenções de votos no Datafolha. É praticamente o mesmo índice dos outros levantamentos (variou entre 10% e 11%).

GLEISI1
Gleisi Hoffmann (PT) em campanha no Paraná // Foto: Divulgação

Nesta pesquisa, o Datafolha perguntou ao eleitor: “Você conhece este candidato?”. A resposta ajuda a entender por que a petista não decolou no Paraná.

Esta e outras curiosidades sobre o levantamento estão abaixo.

1) Gleisi, a desconhecida

Empacada no terceiro lugar, a ex-ministra da Casa Civil é desconhecida por 13% dos entrevistados pelo Datafolha –mesmo após toda a campanha, com grande quantidade de material petista pelas ruas e programa de 4min na TV.

A pergunta foi inserida pela primeira vez nesta pesquisa.

O índice de desconhecimento da petista chega a 17% nos municípios pequenos, com menos de 50 mil habitantes.

Richa e o segundo colocado, Roberto Requião (PMDB), ao contrário, são conhecidos da quase maioria dos eleitores: 98% e 97%. Pode estar aí uma explicação para o fraco desempenho de Gleisi nas pesquisas –e, provavelmente, nas urnas.

2) Richa perdeu votos na reta final

Em comparação com o último Datafolha, divulgado na sexta (3), Richa perdeu três pontos percentuais no total de votos: foi de 49% para 46%. Como nesta pesquisa a margem de erro é de dois pontos, pode-se dizer que o tucano caiu –Requião oscilou dentro da margem de erro (de 27% para 28%), e Gleisi manteve os 11%.

O atual governador diminuiu sua vantagem especialmente nos municípios pequenos, com menos de 50 mil habitantes (foi de 53% para 46%), e no interior (de 52% para 48%).

Em compensação, manteve a dianteira na região metropolitana de Curitiba (42% contra 31% de Requião). Na capital, em especial, o tucano ampliou sua vantagem de 16 para 18 pontos percentuais em relação ao segundo colocado.

3) Grande probabilidade de vitória no primeiro turno

Apesar da queda, Richa chegou a 53% dos votos válidos neste último levantamento, às vésperas da eleição. Pela margem de erro, de dois pontos, fica entre 51% e 55%. Ou seja, a chance de que o tucano ganhe já no primeiro turno é alta, de acordo com o Datafolha. Ele precisa de 50% dos votos mais um para isso.

4) Eleitores de Gleisi se dividem num eventual segundo turno

Se porventura houver segundo turno no Paraná, os eleitores de Gleisi se mostram divididos, ao menos por enquanto. 53% dos que declaram voto na petista preferem Requião, e 47% optariam por Richa. Nessa simulação, o tucano venceria o senador por 60% a 40% dos votos válidos.

* O Datafolha ouviu 1.770 eleitores entre os dias 3 e 4 de outubro, em 50 municípios do Paraná. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral sob os números PR-00048/2014 e BR-01037/2014.