Em Porto Alegre, Tarso abre 11 pontos ante 2º colocado, mostra Datafolha

Por brasil

FELIPE BÄCHTOLD, DE PORTO ALEGRE

Na véspera do primeiro turno, o governador Tarso Genro (PT) consolidou sua liderança na disputa pelo governo do Rio Grande do Sul em variados segmentos do eleitorado, de acordo com o Datafolha.

Pesquisa feita entre sexta-feira (3) e sábado (4) mostra o petista com 36% dos votos válidos (critério que exclui brancos, nulos e indecisos), à frente de Ana Amélia Lemos (PP) e José Ivo Sartori (PMDB), que têm 29%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos.

 O cenário é bem diferente das quatro primeiras pesquisas, quando Ana Amélia chegou a liderar com dez pontos de vantagem sobre Tarso, enquanto Sartori permanecia em um distante terceiro lugar.

Abaixo, algumas curiosidades da pesquisa:

rsrsrs

1) Avanço de Tarso

O atual governador amplia a liderança no eleitorado masculino, entre eleitores com idades entre 35 e 59 anos e também entre entrevistados com escolaridade fundamental.

Na faixa de renda de até dois salários mínimos, a vantagem passa para nove pontos percentuais. No eleitorado com ensino superior, porém, o empate entre os três é quase total: Tarso tem 29%, e os dois adversários, 27%.

2) Teto petista

A queda de Ana Amélia e a tomada da primeira colocação no Datafolha podem encobrir um fator negativo para Tarso.

Agora na liderança, o petista está com praticamente o mesmo percentual que obteve na primeira pesquisa do Datafolha, há dois meses: 31% dos votos totais.

Isso quer dizer que a queda de Ana Amélia não transferiu apoio para a candidatura de Tarso. Quem desistiu de votar na senadora acabou escolhendo o candidato do PMDB. Para vencer o segundo turno, Tarso precisará romper esse teto.

3) Interior x capital

Base eleitoral de Tarso, Porto Alegre dá ao petista sua maior vantagem no Estado.  No município, o atual governador tem 33% das intenções de voto, Sartori 22% e Ana Amélia, 18%.

No grupo de municípios com população entre 50 mil e 200 mil habitantes, porém, Tarso perde terreno. Nesse segmento, há um empate, com Sartori numericamente à frente, com 30% dos votos. Ana Amélia aparece com 28% e o petista com 26%. Há pouco mais de duas semanas, a senadora liderava com folga nesse segmento, com 40%.

4) Conhecimento

Em um eventual segundo turno, o peemedebista Sartori tem uma vantagem em relação aos adversários: ainda há uma quantidade significativa de eleitores que não sabem quem ele é.

De acordo com o Datafolha, 83% dos entrevistados disseram que conhecem o candidato. Mas a maioria afirmou que o conhece “pouco” ou “só de ouvir falar”. Ana Amélia e Tarso, que disputaram cargos majoritários em 2010, têm taxas de conhecimento mais altas, próximas de 100%.

5) Migração de votos

O Datafolha pesquisou também em quem o eleitor pretende votar caso o seu candidato do primeiro turno não passe para a próxima etapa.

Entre os eleitores de Sartori, 46% disseram que optarão por Ana Amélia em uma eventual disputa contra Tarso. Entre o eleitorado da senadora, 52% afirmaram que escolherão Sartori se a disputa for entre ele e o atual governador.

Siga o blog Brasil no Twitter (@Folha_Brasil) e no Facebook (www.facebook.com/BlogBrasil)