Líder, Richa avança nas pequenas cidades do PR e se consolida na capital

Por brasil

ESTELITA HASS CARAZZAI, DE CURITIBA

No Paraná, o candidato à reeleição Beto Richa (PSDB) foi o único a crescer na última pesquisa Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (2).

Mesmo sendo o alvo preferencial dos adversários, especialmente nesta reta final, o tucano permanece na liderança, e venceria no primeiro turno, com 55% dos votos válidos, de acordo com o levantamento.

O atual governador começou a eleição em empate técnico com o senador Roberto Requião (PMDB), que já comandou o Estado por três vezes. No ano passado, Richa enfrentou uma crise financeira no governo, deixando de pagar fornecedores por falta de caixa, e contava com a insatisfação de categorias importantes de servidores.

Por causa do aperto financeiro, teve que adiar obras e deixou de cumprir algumas promessas de campanha.

Mesmo assim, o tucano subiu dez pontos percentuais nas intenções de voto desde meados de agosto, segundo o Datafolha.

Abaixo, alguns fatos que detalham o desempenho do tucano e de seus adversários.

DATAPR1

1) Richa cresce nas pequenas cidades

Da última semana para cá, o atual governador aumentou consideravelmente sua intenção de voto nos pequenos municípios: Richa tem 53% nas cidades com menos de 50 mil habitantes, que concentram quase metade da população paranaense. São 11 pontos percentuais a mais que no último Datafolha, de uma semana atrás. No início da campanha, esse era o reduto de Requião, que liderava com 39%. Hoje, o peemedebista faz apenas 27%.

O coordenador da campanha tucana, Eduardo Sciarra, diz que o crescimento é fruto do “exército” de candidatos a deputado da coligação, que tem 17 partidos, além da parceria com prefeitos. “Mais de 300 prefeitos estão conosco. A base de apoio é muito ampla”, afirma. Há 399 municípios no Paraná.

2) Na capital, Richa consolida votação

Curitiba e região metropolitana eram um desafio para o governador no início da campanha. O grupo do tucano perdeu para o PDT na última eleição a prefeitura da capital paranaense, berço político de Richa (que foi prefeito de Curitiba entre 2005 e 2010).

Em agosto, Requião liderava as intenções de voto na região metropolitana, por 37% a 30%. Agora, o quadro se inverteu. Richa tem 42%, contra 30% do peemedebista. Na última semana, melhorou seu desempenho especialmente em Curitiba, onde marca 43% –cinco pontos a mais que no último Datafolha.

3) Peemedebistas aderiram a tucano

Simpatizantes do PMDB, partido que detém o maior número de prefeituras no Estado, “migraram” para a campanha de Richa na última semana, pelo menos conforme aponta o Datafolha. A intenção de voto do tucano entre os que declaram preferência pelo PMDB aumentou de 34% para 44%.

Há uma semana, Requião liderava com folga neste segmento: tinha 63% da preferência do grupo, contra 34% de Richa. Agora, está em empate técnico, com dois pontos a menos que o tucano (42%).

4) O menos rejeitado

Richa é hoje o menos rejeitado entre os três principais candidatos ao governo do Paraná. Tem 16%, contra 20% de Gleisi Hoffmann (PT) e 27% de Requião. No início da campanha, empatava com Requião nesse quesito.

Da última semana para cá, diminuiu o índice em quatro pontos percentuais, principalmente em municípios de porte médio (entre 200 e 500 mil habitantes), onde sua rejeição caiu dez pontos.

5) Governo é aprovado por 50% dos entrevistados

A gestão de Richa é aprovada hoje por 50% dos paranaenses, segundo o Datafolha, que consideram seu governo ótimo ou bom. É um índice estável em relação às outras pesquisas (oscilou de 48% para 50% desde agosto, dentro da margem de erro).

Apenas 11% dos entrevistados consideram seu governo ruim. É outro fator que ajuda a explicar o desempenho do tucano na campanha eleitoral.

Siga o blog Brasil no Twitter (@Folha_Brasil) e no Facebook (www.facebook.com/BlogBrasil)