No Paraná, Gleisi não lidera nem entre os petistas, diz Datafolha

Por brasil

FELIPE BÄCHTOLD, DE PORTO ALEGRE

A pesquisa do Datafolha sobre a corrida ao governo do Paraná, divulgada na sexta-feira (26), mostra uma grande dificuldade da candidata do PT, Gleisi Hoffmann, de ligar sua candidatura com a da presidente Dilma Rousseff.

Ex-ministra da Casa Civil de Dilma, Gleisi tem 10% das intenções de voto, contra 45% do governador Beto Richa (PSDB) e 30% do senador Roberto Requião (PMDB). A candidata não lidera nem entre os eleitores que citam o PT como o partido preferido.

Abaixo, curiosidades do levantamento:

Richa, Requião e Gleisi, candidatos ao governo do Paraná
Richa, Requião e Gleisi, candidatos ao governo do Paraná

1) Voto petista

O Datafolha questionou o partido de preferência dos entrevistados.

O PT foi a sigla mais citada, mas, entre os simpatizantes do partido, o voto se distribui de maneira praticamente igual entre os três principais candidatos. Nesse segmento, Requião tem 31% das intenções de voto, Gleisi está com 30% e Richa, 29%.

A presidente Dilma têm no Estado índices bem superiores a Gleisi. O PT nunca governou o Paraná nem a capital.

2) Segundo turno

Para o Datafolha, não é possível afirmar se haverá segundo turno no Estado.

Hoje, Richa soma 52% dos votos válidos, critério que exclui brancos e nulos. Para definir a disputa na primeira votação, o candidato precisa somar 50% dos válidos, mais um voto. Como a margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos, a situação é incerta.

A seu favor, o tucano tem o fraco desempenho de outras candidaturas. Além dos três principais concorrentes, disputam a eleição mais cinco candidatos. Mas só dois deles já conseguiram pontuar nas quatro pesquisas feitas pelo instituto.

3) Preferência em Curitiba

Na pesquisa anterior, feita há duas semanas, Requião tinha seu melhor desempenho na região metropolitana.

Agora, Richa abriu uma boa vantagem entre esse eleitorado. A diferença entre os dois candidatos cai de 15 pontos percentuais para sete na capital do Estado. Anteriormente, esse índice era de quatro pontos percentuais.

4) Rejeição

Desde a primeira pesquisa, em agosto, Requião é o candidato mais rejeitado pelos eleitores. Agora, sua taxa de rejeição está em 26%.

Na região metropolitana de Curitiba, porém, as três principais candidaturas têm rejeição parecida. O peemedebista é rejeitado por 26%, Gleisi por 24% e Richa, 25%. Curiosamente, os três fizeram carreira na capital do Estado.

Requião e Richa já foram prefeitos. A petista concorreu à prefeitura em 2008 e ficou em segundo lugar.

5) Renda familiar

O candidato do PMDB se aproxima do governador no segmento dos eleitores com renda familiar mensal de até dois salários mínimos.

Nesse enfoque, a vantagem do tucano cai para cinco pontos percentuais. Entre os eleitores com idades entre 16 e 24 anos, Richa amplia sua liderança para 22 pontos percentuais.

6) Senado

O tucano Alvaro Dias deve ter uma das votações mais folgadas do país para o Senado.

Em votos válidos, critério que exclui os brancos e nulos, o candidato chega a 82% das intenções de voto. O segundo colocado, Ricardo Gomyde (PC do B), tem 10%.

Governador nos anos 80 e senador em segundo mandato, ele amplia sua vantagem em pequenos municípios.

A pesquisa do Datafolha está registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com os números PR-00039/2014 e BR-00782/2014.

foto (8)

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil