Prefeito do Ceará faz ‘salada’ e une PT, PSDB e DEM em uma mesma chapa

Por brasil

ANDRÉ UZÊDA, EM LIMOEIRO DO NORTE (CE)

No município de Limoeiro do Norte (a 207 km de Fortaleza), a campanha eleitoral consegue “unir” três partidos rivais no campo nacional, além de dois adversários locais.

Sob orientação do prefeito, Paulo Duarte (DEM), foram espalhados banners e cartazes do candidato a governo Camilo Santana (PT) ao lado do candidato ao Senado Tasso Jereissati (PSDB). Os dois são de chapas adversárias.

Camilo é apoiado pelo atual governador Cid Gomes (Pros) e seu irmão, o ex-ministro Ciro Gomes (Pros). Ambos já foram alinhados ao tucano Tasso Jereissati no passado, mas hoje são desafetos públicos.

A chapa dos Gomes apoia para o Senado o deputado estadual Mauro Filho (Pros), enquanto Jereissati aposta no senador Eunício Oliveira (PMDB) para a sucessão estadual.

Iniciativa do prefeito de Limoeiro do Norte (CE) uniu candidatos de diferentes partidos em uma mesma "chapa" - Foto de André Uzêda/Folhapress
Iniciativa do prefeito de Limoeiro do Norte (CE) uniu candidatos de diferentes partidos em uma mesma “chapa” – Foto de André Uzêda/Folhapress

O prefeito de Limoeiro do Norte, que não é candidato no pleito de outubro, parece não se incomodar com essas contradições.

“Aqui, em Limoeiro, nós formamos uma verdadeira salada. O importante aqui não são os partidos, mas os nomes de cada um deles”, diz Duarte, que declara voto a Aécio Neves (PSDB) para o Planalto.

Duarte conta que foi lançado na política pelo então governador Tasso Jereissati, de quem foi secretário de Segurança (1987 a 90) e Justiça (1994 a 1998). A ligação com Camilo surgiu de um compromisso firmado com o governador Cid Gomes.

“Nós pedimos a construção de um hospital regional aqui em Limoeiro, e Cid atendeu o pleito. Já mandou até a aprovação das contas para a Assembleia. Com Camilo, vamos poder iniciar as obras”, diz.

Em um comício do petista em Limoeiro, em agosto passado, Duarte chegou a declarar, na frente de Mauro Filho, que apoiaria Tasso Jereissati, o que provocou constrangimentos no palanque.

Ele conta ainda que não recebeu desaprovação dos comitês de campanha de Camilo nem de Tasso.

“Pedi meu material com a foto de cada um deles separado e avisei que faria esta união montando meus próprios cartazes. Fiz os cartazes para o povo saber logo quem são meus candidatos”, declara o prefeito, que ainda apoia o seu filho, Davi Duarte (DEM), a deputado estadual.

Iniciativa do prefeito de Limoeiro do Norte (CE) uniu candidatos de diferentes partidos em uma mesma "chapa" - Foto de André Uzêda/Folhapress
Iniciativa do prefeito de Limoeiro do Norte (CE) uniu candidatos de diferentes partidos em uma mesma “chapa” – Foto de André Uzêda/Folhapress

O prefeito crítica o sistema político do país. Segundo ele, os partidos “são um aglomerado de pessoas sem projetos”.

Questionado pelo blog se sua atitude de unir partidos distintos não ajuda a desqualificar os partidos, Duarte se defende. “Mas eles já não tem ideologia mesmo. Todos são parecidos. Ainda mais no interior. O jeito é fazer mesmo essa salada”, diz.

A coordenação de campanha de Camilo Santana (PT) conhece o material conjunto, mas nega responsabilidade na produção. A campanha de Tasso Jereissati (PSDB) também diz ter tomado conhecimento do caso, mas diz não interferir nas “opções do prefeito”.

Segundo o Datafolha, Camilo está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto do Estado, com 31% da preferência do eleitorado. Eunício lidera com 41%. Na corrida para o Senado, Tasso tem 54%, ante 20% de Mauro Filho.

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil