Seis curiosidades na pesquisa Datafolha de Pernambuco

Por brasil

DANIEL CARVALHO, DO RECIFE

A pesquisa Datafolha sobre intenções de voto para o governo de Pernambuco divulgada nesta quinta-feira (4) revela mais do que o empate entre Armando Monteiro Neto (PTB) e Paulo Câmara (PSB), ambos com 36%.

O blog comparou os números das pesquisas realizadas nos dias 12 e 13 de agosto e nos dias 2 e 3 de setembro. De uma pesquisa para a outra, Monteiro caiu 11 pontos, enquanto Câmara subiu 23.

A seguir, pontos interessantes que novos recortes do levantamento permitem analisar:

Voto evangélico
Paulo Câmara deu um salto considerável entre evangélicos pentecostais, reduto político da presidenciável Marina Silva (PSB), que assumiu a cabeça da chapa com a morte do ex-governador Eduardo Campos. Em Pernambuco, Câmara tinha 9% na pesquisa anterior e chegou a 39% agora. Monteiro tinha 42% e oscilou negativamente para 37%.

Guerra dos sexos
Monteiro perdeu votos entre homens e mulheres. A queda maior foi nos votos masculinos. Antes, ele tinha 53% nesse segmento –agora são 39%. Câmara passou de 15% para 37%. Entre as mulheres, Monteiro tem 33% e Câmara, 34%. Antes, eles tinham 42% e 12%, respectivamente.

armandocamara1
Paulo Câmara (PSB), à esquerda, e Armando Monteiro (PTB), principais candidatos ao governo de Pernambuco / Fotos: Divulgação

Voto da elite
Câmara conseguiu atrair mais votos da elite pernambucana. Empresário, Monteiro só vence o candidato do PSB entre os eleitores que ganham até dois salários mínimos. Nesse estrato, o petebista tem 38% e o pessebista, 31%. Acima disso, Câmara tem ampla vantagem em todos os segmentos. Entre os que ganham mais de dez salários mínimos, por exemplo, ele tem 59% ante 31% de Monteiro.

Capital x interior
No interior, como na capital, Monteiro perdeu pontos e está tecnicamente empatado com Câmara. No interior, onde tinha 52%, caiu para 36%. O candidato do PSB foi de 14% para 32%. Na capital, Monteiro oscilou de 38% para 36%, enquanto Câmara subiu de 13% para 40%.

Escolaridade
A ascensão de Câmara e a queda de Monteiro também aparecem no recorte escolaridade. Monteiro ainda tem mais votos entre aqueles que cursaram apenas o ensino fundamental: 36%, ante 26% de Câmara. O candidato do PSB, que perdia nos três estratos, agora está na dianteira tanto no ensino médio (40% x 38%) como no superior (53% x 32%).

Rejeitados
Os dois candidatos estão tecnicamente empatados em rejeição. Monteiro, que tinha 9% de rejeição em agosto, agora tem 15%. A rejeição a Câmara caiu de 17% para 12%. Ambos têm o mesmo percentual de rejeição na capital (17%). No interior, o petebista é rejeitado por 14%, enquanto o pessebista tem rejeição de 12%.

* O Datafolha ouviu 1.185 pessoas em 43 cidades. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais, para mais ou para menos. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com os protocolos PE 00021/2014 e BR 00517/2014.

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil