Seis curiosidades na pesquisa Datafolha de Minas Gerais

Por brasil

THIAGO GUIMARÃES, COORDENADOR-ADJUNTO DA AGÊNCIA FOLHA

A última pesquisa do Datafolha sobre a sucessão em Minas Gerais mostrou que o petista Fernando Pimentel continua na frente do tucano Pimenta da Veiga: 32% x 24% das intenções de voto.

A diferença entre os dois, que era de 13 pontos percentuais em agosto, segundo levantamento anterior do instituto, caiu para oito pontos nesta semana.

Para além do resultado principal, o levantamento traz mais detalhes sobre o comportamento do eleitor mineiro e os pontos fortes e fracos dos candidatos.

Veja abaixo um retrato mais aproximado da pesquisa, que tem margem de erro de três pontos percentuais, para mais ou para menos:

Masculino x feminino
O ex-ministro de Dilma e ex-prefeito de BH Pimentel tem melhor performance entre homens: 38% x 25%. O ex-ministro de FHC e ex-prefeito de BH Pimenta se dá melhor entre as mulheres, segmento em que está empatado com o petista no limite da margem de erro: tem 22%, contra 28% de Pimentel.

Em agosto, quando o placar geral era de 29% a 16% para Pimentel, o petista tinha vantagem de 13 pontos entre as mulheres e de 12 pontos entre o eleitor do sexo masculino.

Voto por idade
Pimenta alcança melhor desempenho entre eleitores de 60 anos ou mais: tem 27% das preferências, contra 25% de Pimentel. Também empata com o petista na faixa dos eleitores de 16 a 24 anos: tem 24%, ante 28% de Pimentel.

A vantagem do candidato do PT é maior entre eleitores de 25 a 34 anos: 38% x 22%. Em agosto, Pimenta já estava na frente entre os idosos (23% x 18%), mas perdia de longe para Pimentel, por exemplo, entre jovens de 16 a 24 anos (36% x 9%).

pimentapimentel
Pimenta da Veiga (acima) e Fernando Pimentel em campanha ao lado dos candidatos à Presidência Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT) / Fotos: Leo Lara/Manoel Marques/Divulgação

Escolaridade
O desempenho do candidato do PSDB melhora à medida que aumenta a escolaridade do eleitor. Alcança 20% entre votantes com ensino fundamental (Pimentel tem 30%), 25% entre eleitores com ensino médio (34% para Pimentel) e 31% no segmento com ensino superior, em que está em empate técnico com o candidato do PT, que chega a 34% das preferências.

Em agosto Pimentel liderava nos três segmentos, com margens diferentes (24% x 18% em ensino fundamental, 35% x 15% em ensino médio e 26% x 16% em ensino superior).

Renda
Os candidatos estão rigorosamente empatados na busca pelo voto do eleitor com renda familiar superior a dez salários mínimos (R$ 7.240): 35% x 35%. O melhor desempenho do candidato do PT se dá no segmento de renda entre dois e cinco salários mínimos (37% x 20%), e há empate técnico no segmento de menor renda, de até dois salários mínimos (28% PT x 23% PSDB).

Em agosto Pimentel tinha dez pontos de frente no segmento de menor renda (26% x 16%), 16 pontos na faixa seguinte, de dois a cinco salários mínimos (31% x 15%), empatava com Pimenta na preferência do eleitor de renda média mensal de cinco a dez salários (30% x 30%) e mantinha igualdade técnica entre os mais abastados (28% x 23%).

Capital x interior
Pimentel tem ampla vantagem sobre Pimenta em Belo Horizonte: 43% x 19%, mesmo índice de agosto. No interior o cenário é de empate técnico: 29% PT e 24% PSDB. A dianteira do petista é maior nas cidades com mais de 500 mil habitantes: 35% x 20%. O tucano consegue um empate técnico nos municípios de 50 mil a 200 mil habitantes: 26% x 30%.

Partido
Embora Pimentel esteja aliado ao PMDB, que tem o vice de sua chapa, a maioria dos eleitores que declaram preferência pelo PMDB diz que votará em Pimenta: 41%, ante 15% que apontam voto no petista.

* O Datafolha ouviu 1.212 pessoas em 49 cidades mineiras nos dias 2 e 3 de setembro. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com os protocolos MG 00075/2014 e BR 00517/2014.

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil