Conheça o ‘mercado da adoração’ a Eduardo Campos no centro do Recife

Por brasil

DANIEL CARVALHO, DO RECIFE

Não são apenas os políticos que estão faturando com a imagem de Eduardo Campos, morto em um acidente aéreo no último dia 13. No centro do Recife, fotos do ex-governador pernambucano viraram souvenir.

Uma loja de material fotográfico num dos principais corredores comerciais no centro da cidade começou a vender as imagens dois dias após a tragédia.

As quatro opções de foto estão expostas em uma tela sustentada por um cavalete bem de frente para a movimentada calçada próxima a um shopping center. Cada imagem custa R$ 5.

A foto do então candidato à Presidência é a mesma em todos os modelos. O que muda é o fundo: branco, de paisagem montanhosa ou de floresta.

X

Em todas há o nome do ex-governador, as datas de nascimento e de morte e a frase “Não vamos desistir do Brasil”, que se tornou seu bordão durante a campanha e agora é slogan de sua substituta na chapa, Marina Silva.

Funcionários da loja disseram que as vendas começaram dois dias depois do acidente. Ressabiados, não dizem quantas fotos já foram vendidas, mas afirmam que “sai muito”.

Na sexta-feira (29), a funcionária pública da UPE (Universidade de Pernambuco) Ana Lúcia Monteiro, 45, comprou duas fotos para levar para Garanhuns, terra natal dela e do ex-presidente Lula, de quem Eduardo Campos acabou se afastando quando decidiu enfrentar a presidente Dilma nas eleições.

Uma das imagens ela pretende dar de presente para a vice-diretora da universidade estadual em que trabalha. Disse que vai deixar a outra num porta-retratos na sala de casa.

“Ele é um político que fez muito pelo povo. É uma pessoa que deixou saudades e tinha um futuro brilhante nacionalmente. Nós sentimos muito [a morte dele]”, disse Ana Lúcia, que esteve no velório de Campos.

O sucesso das fotos faz lembrar de um fenômeno comum em cidades do interior de Pernambuco. Não é difícil encontrar na casa de agricultores a imagem do avô de Campos, o também ex-governador Miguel Arraes (1916-2005), emoldurada na parede da sala.

“Doutor Arraes”, como é chamado, é venerado até hoje por causa de programas sociais que desenvolveu em seus três governos.

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil