‘Falso Lula’ aparece em campanha no Tocantins; ouça

Por brasil

ESTÊVÃO BERTONI, DE SÃO PAULO

Um Lula que esbraveja no rádio contra um “governo fuleira” e que quer ver o Estado “miorá” (melhorar) está no centro de uma disputa entre dois candidatos ao governo do Tocantins.

Na semana passada, o ex-governador Marcelo Miranda (PMDB), da mesma coligação do PT, usou uma imitação da voz do ex-presidente em sua campanha para provocar o rival Sandoval Cardoso (SDD), atual governador.

Na primeira peça, o falso Lula adapta o bordão “nunca na história deste país” para a realidade tocantinense e satiriza o nome de Sandoval com a expressão “nem a pau, Juvenal”.

Diz a propaganda: “Gente, eu preciso falar pra vocês de todo o meu coração. Nunca na história do Tocantins vivi um governo tão ‘fuleira’ como esse que nós estamos vendo agora. Gente, precisamos de ter saúde pra poder fazer o Estado crescer e ‘miorá’. Não dá pra continuar do jeito que ‘tá’. A pessoa falando que faz, falando que acontece, falando que arrebenta. Ahhh, nem a pau, Juvenal”.

Na segunda intervenção, o personagem abusa dos erros de concordância: “Há muitos anos que eu tô de olho no Tocantins e tô acompanhando de perto a evolução do Estado, quer dizer, a involução do Estado. Os ‘hospital’, gente, tá tudo sem médico, sem leito, sem UTI. Os ‘equipamento’ tudo quebrado.”, diz um trecho do programa.

Os candidatos ao governo do Tocantins
Os candidatos ao governo do Tocantins

Irritada, a campanha de Sandoval Cardoso entrou na Justiça para barrar a aparição do falso Lula. “Basicamente, alegamos que a legislação eleitoral veda a contratação de artista, bem como tuques publicitários que enganam o eleitor”, disse Rafael Mota, advogado do candidato.

A equipe do atual governador também argumentou que as peças publicitárias “visam apenas ridicularizar Sandoval Cardoso”. “Ou seja, destoa do princípio republicano de que o horário político é para discutir ideias”, afirma o advogado.

No domingo (31), a juíza Denise Drumond decidiu suspender a campanha. Escreveu que a peça promove “um desvirtuamento da realidade” e induz o eleitor ao erro –“especialmente aquele menos informado”, frisou a magistrada.

A campanha de Marcelo Miranda afirma ter acatado a decisão. Mas irá recorrer.

“As imitações e o espírito de humor são comuns na linguagem radiofônica. O locutor fez uma brincadeira para dizer que nosso candidato é o mais preparado”, diz Melck Aquino, assessor de imprensa do peemedebista.

Segundo ele, o falso Lula é usado desde o início das campanhas no rádio. “A chacota foi apontada pela juíza apenas uma vez. A veiculação indireta da imagem do Lula não nos causaria problema, porque o PT é parte da nossa coligação. Nosso candidato é grande amigo do Lula.”

Aquino afirma que Marcelo Miranda já pediu ao verdadeiro ex-presidente a gravação de vinhetas para a campanha. Como os pedidos são muitos, pelo Brasil todo, diz ele, a participação ainda não ocorreu. “O que já temos é uma confirmação de que ele [Lula] irá gravar.”

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil