Candidato faz ‘talk show’ na internet para bombardear horário eleitoral

Por brasil

ESTELITA HASS CARAZZAI, DE CURITIBA

Candidato ao governo do Paraná, o senador Roberto Requião (PMDB) tem estrelado na internet, logo após o horário eleitoral, um “programa de comentários” da propaganda oficial.

Toda segunda, quarta e sexta-feira, logo após o horário eleitoral dos candidatos ao governo, Requião liga uma câmera em sua casa e comenta os programas do dia, criticando, com o humor cáustico habitual, seus principais rivais: Beto Richa (PSDB) e Gleisi Hoffmann (PT).

Às vezes, chama políticos convidados, que sentam ao seu lado e também fazem comentários. Convoca os internautas a enviarem perguntas pela internet, que lê e responde ao vivo.

requiaobarra
O candidato Roberto Requião (PMDB-PR) oferece ‘barra de ouro’ em transmissão pela internet em que comenta o horário político / Reprodução

O programa eleitoral de Gleisi, diz ele, “parece produção de Hollywood”, e Richa está “plastificado” e é só “musiquinha para lá e para cá”.

O tucano, candidato à reeleição e que disputa a liderança com Requião nas pesquisas, é seu principal alvo. O “menino moreno”, como diz o senador, é acusado de gastar dinheiro demais em propaganda e só falar “com teleprompter e cromaqui [chroma key]”.

“Mas que está bonito o programa do Beto, está. Eu não tenho esse dinheiro todo para fazer um programa maravilhoso, mas estou aqui”, diz Requião, ex-governador por três mandatos.

O momento de maior repercussão entre os internautas até agora foi quando o peemedebista fez as vezes de Silvio Santos: prometeu enviar uma barra de ouro (cenográfica, na verdade) a quem apresentasse um projeto do atual governador que tivesse dado certo.

“Manda o endereço que eu envio. Mas tem que ser um programa que exista de verdade”, disse, chacoalhando a barrinha de mentira.

‘ESCOLINHA DO REQUIÃO PARTE 2’

O senador costuma dizer que é o marqueteiro de si mesmo, e que não faz propaganda política para “ganhar o leão em Cannes, mas para debater propostas para o Paraná”.

Mesmo seu programa eleitoral é simples. Na maior parte do tempo (são quase três minutos), quem aparece é ele, de frente para a câmera, em fundo branco, criticando o governo de Richa e apresentando propostas.

No entanto, especialistas apontam que seu comportamento rústico e sua “televisão caseira” podem ser uma forma de reforçar a imagem de político avesso ao marketing e, por isso mesmo, autêntico, que fala a verdade.

No meio das transmissões pela internet, por exemplo, Requião já pediu para o câmera melhorar o enquadramento (“Ô câmera, você está me cortando a cabeça aqui”) e atendeu telefone celular.

“Meu telefone batendo aqui no bolso e a assessoria desesperada, como se isso fosse um crime. Vou tirar a campainha dele”, disse.

“É uma estratégia, claro. O marketing dele é justamente isso, é falar que não tem”, comenta o especialista em marketing eleitoral Achiles Ferreira Junior, professor do Centro Universitário Uninter.

As críticas incisivas a Richa e Gleisi também são características do estilo de Requião, que tem um gosto pelo confronto.

“Ele não trabalha com mediação, trabalha com conflito”, diz Marcos José Zablonsky, professor da PUC-PR e especialista em opinião pública.

Os professores apontam que muito da rusticidade de Requião é autêntica. Estrategicamente, porém, ele amplifica essas características usando instrumentos como a “televisão caseira” e o discurso de desapego ao marketing.

É algo, aliás, que ele já fazia como governador, lembra Zablonsky. No seu último mandato, transmitia pela TV pública do Paraná a famosa “Escolinha de Governo”, reunião semanal com seu secretariado em que ele era a estrela principal.