Eleição no Rio Grande do Sul tem divisão capital X interior

Por brasil

FELIPE BÄCHTOLD, DE PORTO ALEGRE

Com ex-prefeitos e candidatos identificados com certas partes do Estado, a disputa pelo governo do Rio Grande do Sul apresenta resultados diferentes dependendo da região, segundo pesquisa do Datafolha.

De acordo com levantamento do instituto feito entre terça (12) e quinta-feira (14), o governador Tarso Genro (PT) tem seus melhores resultados em Porto Alegre, onde já foi prefeito duas vezes e o partido tem vasta tradição.

No geral, a senadora Ana Amélia Lemos (PP) lidera por 39% a 30%. Na capital gaúcha, Tarso está empatado, com 32% das intenções de voto contra 31%.

montagem635
Senadora Ana Amélia (PP) e governador Tarso Genro (PT), rivais na disputa pelo governo gaúcho – Fotos: Edu Andrade/Folhapress (esq.) e Pedro Ladeira/Folhapress

Igualmente identificado com a cidade, Vieira da Cunha (PDT) também tem desempenho melhor quando o foco é apenas Porto Alegre. No Estado, ele tem 3%. Na capital, seu índice passa para 9%.

Situação oposta ocorre com o candidato José Ivo Sartori (PMDB), que foi prefeito de Caxias do Sul entre 2005 e 2012. O peemedebista, terceiro colocado na pesquisa geral, com 7%, melhora seu desempenho fora de Porto Alegre.

Levando em conta apenas municípios entre 200 mil e 500 mil habitantes, faixa que inclui Caxias do Sul, ele passa a ter 12% das intenções de voto.

Ana Amélia não tem uma ligação com uma parte específica do Rio Grande do Sul. Nascida em Lagoa Vermelha (nordeste gaúcho), ela morou por décadas em Brasília, onde trabalhava como jornalista. Em 2010, trocou a TV e o rádio pela política.

Siga o blog Brasil no Twitter: @Folha_Brasil