Poesia, chocolate e frio na espera pela neve na serra catarinense

Por brasil

PAULA SPERB, DE SÃO JOAQUIM (SC)

“O Brasil é muito grande
não tem começo nem fim
Se o sol queima em Cabo Frio,
cai neve em São Joaquim”

Os versos são de Eugênia Remor Coral, de 92 anos, fundadora, na década de 1950, do Hotel Maristela, o primeiro de São Joaquim, na serra catarinense.

Na época, o hotel recebia trabalhadores que ajudaram a desenvolver a cidade. Hoje, o principal público é formado por turistas que chegam nos meses de junho e julho atrás de temperaturas geladas e, com sorte, neve.

“Agora mesmo ouvi na rádio a previsão de que vai fazer muito frio em julho e vai nevar. Se tem frente fria na Argentina, cai neve por aqui”, explica Marta Coral, que administra o hotel ao lado de seu irmão Pablo Coral (no total, são 11 os filhos de Eugênia). Em 2013, nevou em agosto.

A sexta-feira (20) –véspera do início do inverno– amanheceu gelada na cidade da serra catarinense. O termômetro da praça, perto da Igreja Matriz, marcava 0°C um pouco antes das 8h.

X

Para os moradores locais, a temperatura é relativamente agradável. Mas, mesmo sem a paisagem das macieiras típicas (São Joaquim é a terra da maçã) cobertas por gelo, muitos turistas circulam pelo diminuto centro.

A rua principal parece ser palco de uma constante procissão –e não foi de Corpus Christi, celebrado nesta quinta-feira (19). São pequenos grupos de turistas que atravessam a cidade a pé olhando vitrines das lojas, comprando roupas de lã ou frequentando os cafés que servem também chocolate quente.

“A cidade é bastante acolhedora”, disse Daniel Ampessan, 32, enquanto esfrega as mãos para esquentá-las.

É a primeira vez que Daniel visita São Joaquim. Ele está acompanhado da namorada Flávia Darold, 26. O casal é da cidade de Campos Novos, em Santa Catarina, e está acostumado com frio.

“Mas aqui é ainda mais frio”, diz Flávia, que está servindo de guia ao namorado. Ela já conhece a região e destaca também como ponto forte a comida típica: “O principal é a base de pinhão”.

Eugênia, a matriarca autora dos versos, também foi professora e sempre gostou de escrever poesia. Se a cidade de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, que ilustra suas rimas, deve registrar uma temperatura na média de 23ºC neste começo de inverno, a neve deve cair, sim, em São Joaquim.