Cinco pontos para entender o simbolismo da visita de Lula a PE

Por brasil

Lula desembarca hoje à tarde em Pernambuco, quase três anos após ter pisado pela última vez em sua terra natal.

É uma visita simbólica pelos seguintes motivos:

1) Lula não pisa no Estado desde 2011, quando foi homenageado por universidades locais. À época, ainda era aliado do então governador Eduardo Campos (PSB), hoje seu adversário e rival de Dilma na disputa nacional.

Lula e Campos, em evento no Recife Foto de Lula Marques - 20.03.2008/Folhapress
Lula e Campos, em 2008, em solenidade oficial no Recife
Foto de Lula Marques – 20.03.2008/Folhapress

2) Essa visita marca o início de uma prioridade de Lula nas eleições: derrotar Campos duplamente em Pernambuco. No caso, eleger o agora aliado do PT Armando Monteiro Neto (PTB) ao governo e fazer com que Dilma derrote Campos no Estado que governou de 2007 a abril de 2014.

Lula e Armando Monteiro Neto, em evento em Salvador Foto de Ueslei Marcelino -  29.10.2007/Folhapress
Lula e Armando Monteiro Neto, em 2007, em evento em Salvador
Foto de Ueslei Marcelino – 29.10.2007/Folhapress

3) Lula costuma se empolgar com o microfone no Estado. Foi lá, no auge da crise do mensalão, em 2005, que o então presidente fez um dos discursos mais inflamados de sua gestão: “Se eu for [candidato à reeleição], com ódio ou sem ódio, eles vão ter que me engolir outra vez, porque o povo brasileiro vai querer”, afirmou, sob gritos e aplausos em Garanhuns, onde nasceu.

O então presidente Lula em evento com agricultores familiares em Garanhuns (PE) Foto de Ricardo Stuckert/PR (03/08/2005)
O então presidente Lula em evento com agricultores familiares em Garanhuns (PE)
Foto de Ricardo Stuckert/PR (03/08/2005)

4) Hoje (13), em evento do PT, Lula estará ao lado de Dilma, em queda nas pesquisas, mas ainda com ampla vantagem no Nordeste. No 1º turno da disputa de 2010, por exemplo, Dilma obteve 61,74% dos votos no Estado. Em 2010, Lula abocanhou 70,93% dos votos entre os pernambucanos.

Em 2007, Dilma, então ministra de Lula, em evento do PAC no Recife Foto de Aldo Carneiro - 12.07.07/Folhapress
Em 2007, Dilma, então ministra de Lula, em evento do PAC no Recife
Foto de Aldo Carneiro – 12.07.07/Folhapress

5) A presença de Lula também pode servir para buscar a união do PT pernambucano, já que algumas tendências do partido ainda não admitem o apoio à candidatura do empresário Armando Monteiro Neto, do PTB, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria e ex-aliado de Campos. As correntes que defendiam candidatura própria foram derrotadas.