‘Fiquei com medo e senti frio’, diz homem resgatado de árvore no PR

Por brasil

POR LUIZ CARLOS DA CRUZ, DE CASCAVEL (PR)

Josias Camilo da Graça, de 52 anos, passou dois dias pendurado em uma árvore, até ser resgatado pela Defesa Civil do Paraná.

Para a família, ele estava desaparecido desde domingo (8). Na prática, vivia uma aventura diante de uma enxurrada que atingiu o noroeste paranaense.

Essa árvore, para escapar das correntezas, foi o único refugio possível na ilha do rio Piquiri, em Francisco Alves, a 485 km de Curitiba.

O barraco no qual dormia na ilha foi levado pelas chuvas, assim como outra cabana da localidade e o barco usado por ele para chegar ao local.

A seguir, abaixo das fotos, o depoimento dele à Folha:

X

“Foi uma experiência forte, mas fiquei na boa. Tinha um pé de árvore, a água estava batendo na minha cintura, então subi para riba [margem alta do rio]. Peguei três tábuas e preguei na árvore.

Fique lá em cima até umas 10 horas da noite, e a água só subia. A água levou tudo, o barraco que eu morava, levou o bote.

Fiquei com medo de cochilar e cair, peguei uma corda e me amarrei. Na madrugada, a água batia nos meus pés, e eu tive que me agarrar na árvore.

Fui salvo pelas mãos de Nossa Senhora Aparecida.

No outro dia, quando amanheceu, não tinha nada, a água tinha levado tudo. Levou os dois ranchos [barracos], o meu e o do falecido [um homem que morava na ilha e morreu anos atrás].

Aí é que fiquei com medo. Senti muito frio, mas Deus me protegeu.

Eu já estava com medo quando a água começou a pegar no meu pé. Foi a mão de Deus. Não gosto nem de lembrar, mas agora estou bem.

Eu sou teimoso, vou fazer outra casinha lá. Eu vou lá para carpir, plantar feijão e mandioca. Eu fico lá 15 dias e volto para a cidade. Se existe uma riqueza boa é a terra, a água é perigosa.”