8 tapumes para turista ver na Copa

Por brasil

O turista que chegar nesta semana a algumas das cidades-sedes da Copa terá uma demonstração prática do planejamento dos governantes locais.

É ampla a variedade de obras inacabadas, tocadas às pressas ou simplesmente abandonadas. Em comum, o tapume. Em sua maioria de madeira, mas também em versões de lata, grafitadas e até restauradas.

Na segunda-feira (09), correspondentes da Folha visitaram algumas delas com seus bloquinhos de anotações e suas máquinas fotográficas.

Abaixo, uma radiografia da Copa do Tapume (ou da lona, do puxadinho, do atraso, da pressa, do abandono…):

X

1) Em Salvador, a prefeitura corre para entregar até o final desta semana parte das obras de requalificação urbanística na Barra -bairro que vai abrigar a Fan Fest na capital baiana. O trecho que não ficará pronto, próximo à praia do Porto da Barra, está sendo encoberto com tapumes para a Copa.

O secretário municipal de Turismo e Cultura, Guilherme Bellintani, afirma que as obras inconclusas não vão representar riscos ao torcedor.

“Vamos isolar estas áreas para dar mais segurança ao público”, diz o secretário, ressaltando que as obras inacabadas ficam num local a 600 metros do Farol da Barra, onde será a Fan Fest.

 

X

2) No Grande Recife, no terminal integrado Cosme e Damião, em Camaragibe, estação de metrô mais próxima à Arena Pernambuco, ainda há obras e tapumes.

Além disso, das 45 estações do BRT (corredor exclusivo de ônibus), apenas duas já estão operando. Na maioria ainda há operários trabalhando.

A administração do metrô e a Secretaria das Cidades informaram que todos os tapumes do terminal integrado serão retirados até esta sexta (13), com exceção dos que escondem a área de quiosques. Essa parte só ficará pronta depois da Copa.

Em relação ao BRT, a secretaria informou que mais uma estação ficará pronta até o final da semana. O corredor de ônibus só deve ser totalmente entregue no final deste ano.

 

X

3) Em Manaus, a praia de Ponta Negra, local da Fan Fest, será toda cercada por tapumes –exigência da Fifa, segundo a prefeitura, para ter um controle maior dos visitantes.

Mas o local também tem tapumes que escondem obras e até erosões.

Reformada há alguns meses, apenas parte da orla da praia foi entregue. O pedaço de praia ainda em obras foi isolado por tapumes, para evitar contato dos banhistas.

“A terraplanagem desta etapa da obra não foi concluída, pois o rio não desceu como prevíamos. Por segurança, isolamos o pedaço”, diz Antônio Nelson, diretor de engenharia da secretaria de Infraestrutura.

“Neste trecho, vamos revitalizar os tapumes, estão muito feios, desgastados, vamos trocar por outros.”

Há, ainda, um longo trecho isolado por tapumes referente à erosão que atinge o local, ainda na Ponta Negra. Segundo a prefeitura, as obras completas da praia devem ser entregues até o fim do ano.

 

X

4) Em Curitiba, obras de mobilidade que seriam inauguradas na Copa foram adiadas para novembro. Escavações de viadutos ainda estão por fazer, há pedra brita nos canteiros e calçadas estão em puro barro.

O governo do Paraná, responsável pelos projetos, não quis marcar inaugurações agora porque “seria uma afronta à população”, segundo o diretor técnico da Coordenação da Região Metropolitana, Sandro Setim.

O governo deixou atrasar pagamentos no final do ano passado, o que comprometeu o cronograma. Setim também aponta a adequação dos projetos e a falta de sincronia entre as empreiteiras como motivo para o atraso.

“Estamos frustrados [por não entregar a tempo], mas o atraso é pontual e será compensado pela conquista de mobilidade que haverá mais tarde”, diz Setim.

5) No aeroporto da região metropolitana de Curitiba, que está em obras de ampliação, a Infraero instalou uma plataforma de embarque provisória, feita de metal, lona e madeira. O “puxadinho” será usado durante a Copa.

 

X

6) Em Fortaleza, as obras do VLT não ficarão prontas até a Copa.

O prazo de conclusão estava marcado para o início de junho, mas a obra não avançou além dos 50% próximo ao mês de entrega. Inicialmente, diante do atraso, foi cogitado a utilização do VLT nas linhas férreas dos trens de carga — o que não foi adiante.

O governo estadual assinou no fim de maio um distrato com o consórcio CPE-VLT Fortaleza, responsável pela execução da obra. Foram colocados tapumes e gradis para cobrir a estrutura de concreto inconclusa.

O VLT de Fortaleza está previsto no PAC com valor, após aditivos, de R$ 273,9 milhões.

7) Em outros pontos de Fortaleza é possível notar obras emergenciais em andamento a cinco dias do primeiro jogo da Copa do Mundo em Fortaleza.

No túnel sob a Via Expressa, inaugurado pela prefeitura no último sábado (7), homens ainda trabalham na retirada de entulhos do local.

A reportagem encontrou ainda uma fiação elétrica sustentada entre um poste e um pedaço de pau, preso a estrutura de concreto.

Segundo a prefeitura, a obra já está concluída e em funcionamento, mas estão sendo realizados os últimos ajustes.

 

Copa do Tapume em Porto Alegre

Foto de Felipe Bächtold/Folhapress
Foto de Felipe Bächtold/Folhapress

8) Em Porto Alegre, a prefeitura pretende inaugurar ainda nesta semana um viaduto no principal acesso à cidade.

O projeto, estimado em R$ 19 milhões, deve ser um dos poucos do pacote original do Mundial a ser entregue antes do evento na capital gaúcha. 

Em 2013, o município decidiu retirar da Matriz de Responsabilidade da Copa uma série de intervenções, como duplicações, corredores de ônibus e outros viadutos.

A obra tem 265 metros de extensão e liga uma área movimentada do centro à avenida que leva para rodovias federais.